quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Instituições Religiosas no Tratamento de Dependência Química

Nas últimas décadas, com o agravamento do problema social da dependência química, houve o crescimento de muitas instituições religiosas para recuperação de dependentes através da fé. 
drogas
Embora possam haver boas contribuições, tais instituições frequentemente não agregam a medicina, a psicologia e pesquisas recentes sobre métodos úteis para o tratamento da saúde mental.

Realmente são necessários serviços de recuperação ao dependente químico. Existe carência desse tipo de acolhimento. Mas a religião costuma ser bastante antiquada em termos de tratar vícios. É ainda mais obsoleta no que se refere a transmissão de conhecimentos esclarecidos e a moral. 

Na antiguidade, a religião e os sacerdotes poderiam ter sido de grande relevância para educação e ética. Os sacerdotes, muitas vezes, representavam os mais sábios. Foram os principais responsáveis em preservar e perpetuar tradições, conhecimentos e fatos históricos. Geralmente, quando a civilização tinha o recurso da escrita, eram os sacerdotes que sabiam ler e escrever. Em termos de contribuição ao progresso humano, alguns sacerdotes eram o mesmo que os pesquisadores e filósofos são, atualmente. Entretanto, após milênios, a realidade mudou. Embora ainda hajam religiosos sábios.

os homens porque perdem

A religião está para a filosofia e as ciências, assim como, a astrologia está para astronomia. Enquanto a religião estagnou, perdendo o sentido com o tempo e se tornando por consequência dogmática; a filosofia e as ciências evoluíram. Elas continuaram a busca humana por maneiras de obter maiores esclarecimentos sobre o funcionamento da vida, a estrutura do universo, maneiras de conviver bem. Os conceitos filosóficos e científicos mudam: renovam-se, ampliam e progridem.

ciência e fé

Não podemos também desprezar o fato que atualmente a religião é um negócio que gera intenso capital via dízimos, doações, compra de produtos e serviços voluntários dos fiéis. A instituição religiosa tem como principal preocupação o lucro como qualquer outra empresa, na maior parte das vezes.

Infelizmente, a situação da dependência química ainda é muito negligenciada pelo Governo. É permitida a atuação das instituições religiosas para atender essa demanda. Se o "paciente" não melhora, podem responder que não teve fé suficiente. Se é recuperado, o rebanho de fiéis aumenta, provavelmente.

A dependência química é uma grande questão social. Não se limita apenas ao uso de drogas ilícitas, álcool e tabaco. Envolve o consumo de queijos (70% gordura em geral), refrigerantes e vário tipos doces. Essas comidas não nutrem e ocasionam desordens de saúde como diabetes, hipertensão, obesidade e câncer, porque possuem em sua consistência substâncias como sorbato de sódio (mutagênico), hormônios de crescimento, grande quantidade de açúcar refinado e grande quantidade de gordura animal.

saúde mental
A dependência química é mais um problema crônico do capitalismo - criando problemas e vendendo "soluções".

O que podemos fazer sobre essa realidade?

Para começar, isso pode ser bem administrado. Uma boa forma de tratamento para o dependente químico é através de competente equipe multidisciplinar médica, psicológica e terapêutica somadas com informações e pesquisas sobre estratégias de controle do vício. Além de promoção de fóruns para compartilhar experiências positivas no combate às drogas.

saúde mental

Um comentário:

  1. Interessante...
    As religiões, de um modo geral, visam o poder através da educação, da saúde, da política...em geral excluindo aqueles que pensam ou agem diferente das suas doutrinas. Fazem isso de forma sutil ou escancarada.
    Se as religiões objetivassem apenas o amor, a aceitação e o respeito verdadeiros, o bem que elas oferecem seriam bem mais eficientes.
    Bjs e sucesso em teu blog!

    ResponderExcluir